Browse Month: janeiro 2016

Família de líder da oposição venezuelana alega abuso em prisão; autoridades negam

Por Andrew Cawthorne

CARACAS (Reuters) – A esposa e a mãe do líder da oposição venezuelana preso Leopoldo López foram supostamente submetidas a revistas corporais abusivas, mas o governo da Venezuela diz que elas estão mentindo e transmitiu gravações secretas para desacreditá-las.

A oposição venezuelana e o partido socialista, do governo, há tempos se acusam de manipulação da opinião pública e o caso de López é particularmente sensível porque se tornou uma causa célebre internacional de grupos de direitos humanos.

A esposa de López, Lilian Tintori, disse que em uma visita à prisão Ramo Verde, no fim de semana passado, guardas fizeram com que ela se despisse e repetidamente abriram suas pernas e removeram seu absorvente.

A mãe de López, Antonieta Mendonza, posteriormente teve que se despir em frente de dois netos, de acordo com a família e advogados.

“Eles torturaram psicologicamente a mim e Leopoldo com suas ações e agora até meus filhos estão sendo expostos ao abuso”, disse Lilian em acusações que geraram expressões de indignação dentro e fora da Venezuela.

López, de 44 anos e educado nos Estados Unidos e que lidera o partido extremista Vontade Popular, atualmente cumpre sentença de quase 14 anos por acusações de incitar protestos anti-governo em 2014, nos quais 43 pessoas acabaram morrendo.

O governo diz que as acusações da família fazem parte de uma estratégia midiática. A TV estatal transmitiu na noite de quarta-feira o que aparentava ser uma conversa gravada entre López e sua esposa dentro da prisão, discutindo sobre como pressionar uma autoridade prisional sobre novas restrições às condições carcerárias de López.

A Reuters não pôde verificar o áudio de forma independente, embora as vozes sejam parecidas com as do casal.

Powered by WPeMatico

Crise política derruba Brasil para sua pior posição em ranking de qualidade democrática

Brasileiro perdeu a fé no voto como forma de combater a corrupção, diz um dos pesquisadores
Montagem/R7/Wikimedia Commons

A crise política envolvendo o escândalo de corrupção na Petrobras e a tramitação do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, bem como o pessimismo nacional com o cenário político, fizeram com que o Brasil caísse para sua pior posição em um ranking da Economist Intelligence Unit (EIU) sobre a “qualidade democrática” de 167 países.

A 10ª edição do estudo, publicado pela empresa de análise e consultoria pertencente ao grupo da revista The Economist, traz o Brasil em 51º lugar, sete postos abaixo de sua melhor posição, ocupada entre 2013 e 2015.

O Brasil se encaixou na categoria de “democracia falha” e ficou atrás de diversos vizinhos latino-americanos, de países africanos e mesmo do Timor Leste, nação asiática que se tornou independente da Indonésia há apenas 14 anos.

A nota dada pelo ranking à democracia brasileira caiu de 7,38 em 2014 para 6,96 (de um máximo de 10) no ano passado.

Além das análises de especialistas, houve pesquisas de opinião pública para medir os níveis de satisfação do público com a política. E, de acordo com Rodrigo Aguilera, analista de América Latina da EIU, as respostas dadas pelos entrevistados no Brasil foram marcadas pelo desânimo.

‘Fraqueza’

“Estou envolvido com o estudo há oito anos e não me lembro de ter visto uma atmosfera tão pessimista no Brasil. Os dados são muito ruins”, disse Aguilera à BBC Brasil.

Sob o título de A Democracia em Tempos de Ansiedade, o estudo levou em conta um grupo de cinco fatores para determinar a classificação dos países: processo eleitoral e pluralismo, liberdades civis, funcionalidade governamental, participação política e cultura política.

Com base nos pontos em cada quesito, os países foram classificados como “democracias completas”, “democracias falhas”, “regimes híbridos” e “regimes autoritários”.

“Democracias falhas” seriam países que, apesar de terem eleições livres e respeito às liberdades civis básicas, apresentam o que os autores do estudo classificam como “fraquezas significativas” em outros aspectos da democracia — problemas de governança e de cultura política, assim como baixos índices de participação política da população.

— O problema do Brasil não é uma questão de eleições livres e com credibilidade, mas sim um quadro em que as pessoas parecem ter perdido a fé no voto como forma de combater a corrupção. É isso que chamamos de uma democracia falha.

O Uruguai foi o único país sul-americano considerado uma ‘democracia completa’
AP Photo/Natacha Pisarenko

Pontuação

O Brasil recebeu sua pior nota justamente no quesito de cultura política (3,75 de um máximo de 10, uma pontuação influenciada por uma metodologia que desconta pontos de nações em que o voto é compulsório). A maior nota do país foi em processo eleitoral (9,75).

Mas ficou atrás, por exemplo, de Ilhas Maurício, Uruguai, Costa Rica, Botsuana, Chile, Taiwan e Argentina. O Uruguai foi a única nação sul-americana a aparecer na categoria de “democracia completa”.

Diversos outros países apareceram como “democracias falhas”: a classificação foi aplicada a nações que obtiveram menos que média 8 no ranking — no caso, os que ficaram colocados entre a 21ª (Itália) e 79ª (Montenegro) posições da lista.

O Brasil foi citado especificamente pela Economist Intelligence Unit por causa da crise política detonada pelo escândalo de corrupção da Petrobras e a abertura do pedido de impeachment de Dilma Rousseff.

O estudo alerta que as populações na América Latina historicamente toleraram níveis menores de democracia em troca de progresso econômico. “Mas como essa troca não é mais possível, as atitudes públicas contra os líderes políticos serão cada vez mais hostis”, diz o texto.

Aguilera, porém, acredita que os recentes desdobramentos da operação Lava Jato, em especial a prisão de políticos e empresários, poderão restaurar um pouco da confiança da população. “O Brasil está fazendo um trabalho melhor que o México, por exemplo. E não creio que a situação possa ficar pior do que está”.

De acordo com a classificação da EIU, mais de um terço da população mundial (2,6 bilhões de pessoas) vive sob algum tipo de ditadura e apenas 8,9% da população mundial vive em “democracias completas”.

Os países com a melhor pontuação — e, portanto, as democracias consideradas mais completas — são os países nórdicos Noruega, Islândia e Suécia. Os piores colocados no ranking são Chade, Síria e Coreia do Norte.

Leia mais notícias de Brasil no Portal R7

R7 Play: assista à Record onde e quando quiser

Powered by WPeMatico

Aspectos relativos ao Streaming e Neutralidade de Rede no Brasil

No primeiro olhar, “internet sem entraves” pode parecer uma orientação característica para o ambiente web. Esta expressão, no entanto, oferece ascender ao agora e novamente passatempos diferentes e algumas preocupações.
Como uma idéia geral, internet sem obstáculos implica uma Internet aberta, através da qual os compradores teriam capacidade para resolver sobre suas próprias decisões sobre a substância que pretendem chegar e oferta, e também as administrações e os aplicativos de que precisam para utilizar. Para este fim, todas as atividades de Internet deve ser tratado da mesma forma, dando pouca atenção à sua fonte – convenção de câmbio, conteúdos ou organizar. Assim, a administração de fornecedores Internet (ISPs) não teria qualquer privilégio ou autorização para limitar ou guiar o acesso do cliente a qualquer substância, sempre.

1441987900_streaming
Como se esforça para apoiar este privilégio a uma web aberta, banners cerca e atividades legítimas para controlar o padrão de internet sem impedimentos estão desenvolvendo muito grande e ao longo da década anterior. Essencialmente, os procedimentos autoritários têm a intenção de ajustar as solicitações e objectivos das organizações governamentais, ISPs, a substância fornecedores, clientes da web e parceiros diferentes.
Enquanto o desenvolvimento continua a ser uma componente-chave nos exames que abrangem esta área obscura de regulação da internet, as considerações e conselhos sobre a equidade internet para a maior parte considerar adicionalmente as diversas metodologias de decisão de negócios e compras, e exequibilidade também especializada de limitações ou administrativa proposição de vir.
A preocupação notável do nível chefiado discussão mundial diz respeito a um inquérito focal: como poderia controlar o conteúdo da Internet derramando bilhões de casas a cada dia? Isto é por causa da regra de falta do sistema de apoiantes viés que os ISPs devem tratar da mesma forma todas as atividades de Internet, ainda assim longe o negócio “mundo descobre que os ISPs precisam cobrar despesas adicionais para conteúdo de alto volume fornecedores para que, assim que a última lata transmitir a sua substância para clientes ou endossantes por meio de uma banda larga “pista rápida”. O entusiasmo dos fornecedores de substâncias é, verdade seja dita, transmitir a sua substância ou administrações tão rápido e confiável quanto poderiam ser permitidos ok streaming.

images (1)
Desta forma, algumas organizações estão dispostas a pagar por “administração única”, como os que dão as administrações de banda larga vídeo ou recriações eletrônicos. A administração premiumgarantiria que sua substância foram para os seus clientes o mais rapidamente e sem intrusão, que produziria mais salário para substâncias fornecedores e, em princípio, levar a uma situação em que todo mundo iria ganhar: o salário dessas organizações seria superior ea montante pago ISPs extras iria subsidiar a melhoria dos sistemas de banda larga.
Em qualquer caso, não se deveria esquecer o lado oposto da moeda: pequenos empresários alegam que a formação de thruways extraordinárias pode prejudicar rivalidade e avanço. Por, esta administração prémio afetaria mais novas empresas e acabar com a decisão do cliente, uma vez que esta daria ISPs a capacidade de escolher, inevitavelmente, quando e em que os clientes de conteúdo têm entrada, basta coordenação ou redirecionando suas decisões por causa do fornecimento de determinada substância “mais rápido e ainda mais facilmente aberto.”

images
Assim, os ISPs extensas afirmam que é apenas inconcebível não custo adicional para o derramar de vídeo (como o Netflix) ou administrações de voz, (por exemplo, Skype), como organizações que dão a esses tipos de administrações, apesar do fato de que eles estão utilizando a maior parte da banda, sob o padrão de internet sem obstáculos, não seria pagar qualquer somam para aprimorar base do sistema extra. Por, isso não é uma proposta razoável e deveria ser melhor enunciados.
Seja como for, é provável que exista um ponto em que todo mundo concorda: internet justiça oferece ascender a um monte de diálogo e há contendas ser refletia sobre em ambos os lados. A motivação por trás deste artigo não é para descobrir um campeão para este especializado ou lutar em tribunal, mas em vez de dar uma revisão de como nonpartisanship sistema é agora tratada, do ponto de vista legal, o Brasil e os Estados Sta